Varejo do futuro: como o audiovisual transformará a interação entre cliente e loja? - NetSeg

Varejo do futuro: como o audiovisual transformará a interação entre cliente e loja?

Varejo | 2017-04-26

Executivo aponta como as lojas físicas podem competir com a expansão do e-commerce.

Por editorial TecnoMultimídia InfoComm

A crise econômica que atingiu o País em 2016 chegou ao mercado de varejo físico. Com peso de 20% do Produto Interno Bruto (PIB), o setor registrou uma retração de 6% nas vendas no ano passado, segundo pesquisa da Federação de Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP). 

No mesmo período, o e-commerce (vendas pela internet), apresentou crescimento nominal de 7,4% nas vendas, alcançando um faturamento de R$ 44,4 bilhões em 2016, sobre os R$ 41,3 bilhões registrados em 2015, segundo o relatório Webshoppers, realizado pela ebit. 

Diante desse cenário, os empresários do varejo do futuro devem procurar alternativas para chamar a atenção de seus clientes cada vez mais conectados e retomar o seu lugar no mercado. Mas o que precisa ser feito para conseguir essa retomada? Para Giovanni Maddaloni, CEO da empresa GM7 Digital Experience, as lojas físicas devem apostar cada vez mais em tecnologias de digital signage, que oferecem uma experiência interativa ao cliente dentro da loja e que torne a compra tão dinâmica quanto na internet.

Criação de ambientes virtuais

Com o advento de smartphones e redes móveis, o mundo passou a ser muito mais conectado, e os clientes, por sua vez, querem ter acesso a produtos de forma rápida e prática. Com a comodidade de o consumidor poder comprar tudo pela internet no conforto do lar, as lojas físicas devem apostar em conectividade e interação tecnológica para não perder clientes. 

“Fazer das lojas verdadeiros ambientes virtuais, com menos informações impressas ou analógicas, mostrando que a tecnologia vem tomando conta deste espaço, acaba trazendo inovação e muita melhoria no atendimento e na satisfação do cliente. A tecnologia de digital signage vem para auxiliar as lojas físicas na competição com o e-commerce”, afirma Maddalonni. 

A digital signage se baseia no uso de displays eletrônicos de qualquer tamanho como telas touchscreens, projetores multimídia, monitores de computador, televisões normais, painéis de LEDs ou outros tipos de display, com o propósito de comunicar, informar, entreter e veicular publicidade. Em linhas gerais, a tecnologia surge para dar mais autonomia ao cliente durante a compra. 

Um exemplo da tendência do varejo do futuro é o uso de telas interativas que contam com beacons - tecnologia de localização que oferece publicidade personalizada sobre produtos do estabelecimento à medida em que o consumidor atravessa suas araras ou usa seu aplicativo. A tecnologia permite também a ao consumidor comprar o produto desejado e recebê-lo em casa. 

Outro exemplo é o uso de painéis touchscreen que permitem ao cliente obter informações extras sobre o produto que está comprando, sem precisar falar com um vendedor, além de receber informações sobre outros produtos. 
A realidade virtual também já é usada em estabelecimentos para ampliar a experiência digital dos clientes. São os “espelhos virtuais” pelos quais o cliente se vê vestido com uma roupa sem a necessidade de fazer a prova. Além de saber se a roupa está adequada ao gosto do cliente, a tela virtual mostra combinações de acessórios. 
Pela conexão Near Field Communication (NFC), via bluetooth, o consumidor consegue saber onde o produto de interesse foi feito e ter mais detalhes sobre sua criação, criando uma espécie de “proximidade” com a marca e o produto, o que geralmente aumenta as chances de compra.

Brasil tecnológico

Embora o varejo no Brasil ainda caminhe a passos lentos em relação à digital signage, já que o tratamento com o cliente no varejo físico ainda é basicamente analógico e pouco atrativo para o consumidor, o setor mostra que tem muito espaço para crescer, afirma Maddaloni. É o caso da gigante de cosméticos Natura, cujos produtos, antes distribuídos unicamente por revendedoras, agora se encontram em expansão em lojas físicas, em uma maneira de se aproximar ainda mais de seus clientes, juntamente com o crescimento de sua plataforma de revendedoras online. 

Competir com o e-commerce não é uma tarefa fácil, porém investir em um plano de digital signage eficiente, que conecte a marca com o cliente, pode aumentar as chances de sucesso em um mundo cada vez mais digital.